Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Paisagemviva

Sempre verde, azul e perfumada pelas flores...

Paisagemviva

Sempre verde, azul e perfumada pelas flores...

28
Abr09

4,5 milhões de euros

paisagemviva2

 

Lisboa, 28 Abr (Lusa) - O Estado vai reservar 4,5 milhões de euros para o financiamento das campanhas eleitorais dos partidos e movimentos que concorrem às eleições para o Parlamento Europeu, agendadas para 07 de Junho.

O valor, correspondente a 10.000 salários mínimos nacionais (actualmente fixado nos 450 euros), será atribuído após o acto eleitoral aos partidos políticos ou movimentos que "obtenham representação" no escrutínio - nos termos da Lei do Financiamento dos Partidos Políticos e das Campanhas Eleitorais em vigor, mas em revisão no Parlamento.

Nas europeias de 7 de Junho, os partidos ou movimentos que preencherem os requisitos fixados na lei e que, simultaneamente, obtiverem o resultado mais expressivo são os que mais recebem: 20 por cento do total (900 mil euros) será distribuído em partes iguais pelos partidos que elejam pelo menos um eurodeputado, os restantes 80 por cento (3,6 milhões de euros) em função dos resultados eleitorais.

Ag

ênci

a

Lus

a

.

 

 

Será mesmo necessário gastar tanto dinheiro com publicidade política?

Os partidos políticos são sempre os mesmos, as campanhas eleitorais são sempre sobre promessas que nunca serão cumpridas. Os "buracos económicos" são tão profundos que nos deparamos com eles por todo o país (estradas, passeios, funcionamento de organismos públicos, etc), portanto parece-me que os montantes que pretendem dispender para publicidade eleitoral poderiam ser bem aproveitados se utilizados no combate à pobreza, à corrupção, à criação de emprego, às condições de vida dos portugueses  .

 

Isto não é publicidade

Não me vou candidatar.

Paisagemviva

16
Abr09

Se nós, trabalhadores, pagamos tudo....

paisagemviva2

Presos vão pagar estada na cadeia

 

<input ... >12h33m

Detidos vão ter de desembolsar 1,50 euros por dia a título de despesas de estadia numa cadeia dos EUA.

As autoridades do Condado de Polk, próximo a Orlando, no centro da Florida, anunciaram esta medida no último das entregas das declarações de rendimentos nos Estados Unidos. Os presos começam a pagar a estada na prisão a partir desta quinta-feira.

"O 15 de Abril é um dia significativo para todos nós que trabalhamos, cuidamos da família, seguimos as regras da sociedade e damos o melhor para poder desfrutar do produto de nosso trabalho. Será também o dia da instituição da cobrança de impostos para os que não trabalham, mas vivem na prisão do condado de Polk", disse o xerife Grady Judd, ao anunciar a medida.

A prisão de Polk, que se situa a 300 quilómetros  do norte de Miami, já cobrava aos detidos 23 euros a título de ingresso no estabelecimento, 11 euros por consulta médica, 7,6 euros para ter direito à enfermagem. A cadeia cobra, ainda, 7,6 euros pelos remédios na farmácia e 6,8 euros por um "kit higiene", com vários pares de roupa íntima.

Em 2008 a penitenciaria do condado de Polk arrecadou dos presos 317 mil euros. Quantia que se vai elevar-se consideravelmente com a cobrança do novo "imposto" diário.  

E

m:

Jorn

al de

Not

ícia

s

Paisagemviva

08
Abr09

...

paisagemviva2

Portugal é onde mais se morre devido ao frio

 

00h30m

Portugal é um dos países da União Europeia onde mais se morre por falta de condições de isolamento e aquecimento nas casas, conclui um estudo de especialistas da Universidade de Dublin que comparou 14 países europeus.

De acordo com a investigação, que analisa as potenciais causas da mortalidade no Inverno em 14 países europeus, "Portugal tem a maior taxa (28 %) de excesso de mortalidade no Inverno", seguido de Espanha e Irlanda, com 21%.

"As nossas casas não estão nada preparadas para enfrentar o frio (...)", disse Claudia Weigert, da Divisão de Saúde Ambiental da Direcção-Geral de Saúde (DGS). Claudia Weigert chamou ainda a atenção para a importância de avaliar a carga económica associada à habitação, explicando que os diversos problemas de saúde que as pessoas podem ter devido à má qualidade do ar interior e à falta de isolamento das casas resultam em baixas médicas com peso económico para o país.

(...)

Jornal de Notícias

---------------------------------------------

 

No IRS e surgiu um campo novo... preparem-se para mais uma despesa...

 Quando submeterem o IRS irão verificar a existência de um campo novo no Anexo H, campo dados dos imóveis, sobre a certificação energética: se tem ou não classificação "A+" ou "A". Obviamente que a maioria não tem certificação, logo o campo a preencher é o NÃO.

Dizem que este campo não terá penalização no valor a ser reembolsado! Mas ... façam a v/simulação com o sim e com o não e verão que o valor a ser reembolsado será menor.. logo seremos penalizados!!! (mais ou menos entre 50€ a 100€ a menos)

Se não tivermos a certificação seremos penalizados todos os anos.. se a pedirmos gastamos +-200€ num ano mas fica válida por vários anos (ainda não confirmei por quantos), mas só vale a pena pedir certificação se obtivermos a classificação "A" ou "A+"... o "B" já dá penalização

 Contactei a DECO que confirmou a legalidade da situação embora concordasse que a informação explicita e da comunicação social fosse nula.... porque será?

Abaixo está um site que vos elucidará sobre este assunto, uma vez que esta lei já existe desde 2006.... Os iimóveis de luxo construídos em 2007 eram os poucos ou únicos que tinham esta certificação...

  Para este ano já não vamos a tempo de pedir a certificação, mas mesmo que tenhamos certificação só não somos penalizados no IRS se a certificação for "A" ou "A+".. se for abaixo desta classificação seremos sempre penalizados...

Quem está a construir casa, peçam a v/certificação ao construtor. O Construtor já é obrigado a dar a certificação... Na casas novas caso não tenham pré-instalação de paineis solares e/ou soluções ecológicas terão agravamento a nível de impostos (IMI....), serão consideradas casas "Não Verdes" e serão logo penalizadas nas contribuições.

Mais uma grande manobra ao melhor estilo do Sr. Eng. Sócrates.

www.certificacaoenergetica.com

 
 

 

 

Acho que o governo está mesmo decidido a deixar os portugueses a dormir debaixo da ponte, perante estas duas situações expostas acima digam-me:

 

- Temos culpa senão existe fiscalização adequada à construção dos imóveis?

 

Nós compramos o imóvel, dentro das nossas possibilidades económicas ainda fazemos melhoramentos (que não contam para efeitos de IRS a menos que o voltemos a vender ), e ainda somos penalizados no IRS por o nosso imóvel ser antigo e não ter certificado energético?

Quanto vamos pagar por uma certificação que à partida já sabemos ir ser muito abaixo do A ou A+?

 

Que culpa é que temos se só agora o governo se lembrou desta situação e vai penalizar todos os que são proprietários de imóveis que não construíram e são antigos e nem vidros duplos possuem?

 

E temos mais uma proposta para ajudar à crise, os descontos da S. Social vão passar a incidir também no subsídio de almoço, ajudas de custo e etc....

Até a miséria do subsídio de almoço, que praticamente não dá para pagar uma refeição decente..... que tristeza!

 

Mais umas exigências destas e vamos viver debaixo da ponte.

Paisagemviva

06
Abr09

Muito bem....

paisagemviva2

Segundo dados do Ministério da Justiça (MJ) fornecidos à agência Lusa, referentes a Março, das 14.868 pessoas (13.598 homens e 1.291 mulheres) que estão a cumprir trabalho comunitário, 6.010 fazem-no em substituição de penas efectivas de prisão até dois anos.

Em Dezembro de 2008, estavam 11.818 pessoas a executar trabalhos a favor da comunidade, contra 11.098 em finais de 2007. Desde a revisão do Código Penal (Setembro de 2007) é possível fazer trabalho comunitário em substituição de uma pena de prisão não superior a dois anos.

É ainda possível executar trabalho comunitário como «sanção substitutiva da pena de multa, após o julgamento e a pedido do condenado», como um «dever imposto no âmbito da suspensão da execução da pena de prisão» ou como «pena substitutiva da prisão, no âmbito da comutação da pena, total ou parcial, no processo de indulto».

O Trabalho a Favor da Comunidade (TFC) é também aplicado como injunção no âmbito da suspensão provisória do processo, na fase pré-sentencial, como obrigação aplicável a jovens delinquentes, entre os 16 e os 21 anos, ou como alternativa às sanções previstas no regime jurídico do consumo de estupefacientes e substâncias psicotrópicas.

 

Sol

............................................................................

Muito bem!!!!

Mais iniciativas destas podem contribuir largamente para o bem do meio ambiente e da nossa sociedade.

No caso dos menores acho que esta iniciativa é óptima para os ensinar a dar valor ao civismo, ao meio ambiente e a viver em sociedade.

Paisagemviva

Mais sobre mim

foto do autor

O caminho é aquele que for escolhido

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Links

E por que não:

Acontecimentos

Cinema

Viagens

Sabes onde fica?

Vai estar sol????

Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub